Imprensa Relação com Investidores
Acessibilidade

Blog

Os principais ingredientes da cerveja

Postado em: 16/07/2019,

por Ambev

Quem gosta de cerveja levante a mão! Não é novidade que essa é uma das nossas paixões nacionais, mas quantos de vocês sabem quais são os ingredientes desse néctar dos deuses? Fique aqui com a gente e confira as informações que preparamos pra quem tem curiosidade sobre esse tema.

Água:

A água não só representa a maior parte da composição das cervejas (representa de 90 – 95% da composição da cerveja ), como pode impactar diferentes aspectos da bebida. O sabor, cor, amargor, são influenciados pelo ingrediente.

Apesar disso, é bom todos ficarem alerta. A origem da fonte de água não influencia na qualidade final da cerveja. Hoje em dia a água que é usada no processo de produção de cerveja passa por um tratamento prévio.

Atualmente, já existem diversas técnicas que possibilitam que os cervejeiros adaptem a água para a composição desejada para produzir o estilo de cerveja escolhido. Os cervejeiros retiram (ou adicionam) sais e minerais, ajustam o pH, entre outras mudanças.

Malte:

Em palavras simples, malte são os grãos usados na composição da cerveja. Os mais utilizados são malte de cevadas, porém, outros cereais, como centeio e trigo, também podem ser malteados e usados. O malte é produzido pelo processo chamado de malteação, que consiste em controladamente induzir a germinação do grão para que seus açúcares, conhecidos também como amido, fiquem mais disponíveis.

São esses açúcares, contidos nos cereais, que serão usados como alimento para as leveduras durante a fermentação da cerveja. Também é na malteação que são ativadas as enzimas que ajudarão na quebra do amido , ajudando no trabalho das leveduras.

Para quem não entende muito do assunto, isso tudo pode parecer complicado, mas a influência do malte ou dos grãos que passaram pelo processo de malteação pode ser percebida por qualquer consumidor. Na hora da secagem desses grãos, para que possam ser estocados, eles ganham diferentes tonalidades, que influenciarão diretamente a cor e sabor da nossa querida cervejinha. Além da cor, aroma e sabor também são diretamente influenciados pelo malte.

Lúpulo:

O Lúpulo, conhecido por muitos como o “tempero da cerveja”, é uma planta trepadeira que se desenvolve em climas frios. Essa exigência climática faz com que o Brasil não seja considerado um produtor relevante do produto.

O lúpulo é o ingrediente responsável pela intensidade do amargor da cerveja. Além disso, o aroma da bebida também depende dele. Antes de ser descoberto, o tempero da bebida era feito pelo Gruit, uma antiga mistura de ervas.

Nessa época, na Europa, cada mestre cervejeiro tinha a sua receita própria de Gruit. Os ingredientes que eram utilizados eram muitos, porém, entre eles estão: erva-de-são-joão, artemísia, zimbro, noz moscada, anis e canela.

Não é só sabor amargo que vem do lúpulo. Pessoa, não podemos falar de beneficios para saúde quando falamos de cerveja (antioxidantes) e conservantes, o que contribui para a estabilidade e tempo de validade da cerveja. Mais do que isso, a qualidade da espuma e também está ligada a ele.

Levedura:

A levedura, um tipo de fungo, é um dos ingredientes mais importantes da cerveja, é ele o responsável por fazer a soma de todos os outros se transformar na deliciosa bebida que nós conhecemos e consumimos. Tudo através da fermentação. Lembra quando falamos sobre os açúcares liberados pelos grãos, após o processo de malteação? Então, é a levedura quem vai transformá-los em álcool e gás carbônico.

Existem as leveduras de baixa fermentação (Saccharomyces pastorianus) e as de alta fermentação (Saccharomyces cerevisiae). Além delas, também são comuns as leveduras selvagens, como as Brettanomyces. Aromas e sabores da cerveja são influenciados pela levedura.

Ainda não acabou

Água, malte, lúpulo e leveduras são os principais ingredientes das cervejas, porém, passam longe de serem os únicos. Vamos falar um pouquinho sobre os outros membros dessa deliciosa receita.

E precisamos levar em conta que a cerveja é uma bebida muito antiga e hoje pode ser encontrada em diversos estilos. Por esse motivo, diversos ingredientes podem ser incorporados a sua receita e seria quase impossível listá-los aqui.

Frutas, raízes, , condimentos, plantas, flores, madeiras, açúcares e sementes são alguns desses outros ingredientes. O que vai determinar a sua aplicação são a criatividade e habilidade do cervejeiro.

O que seria a cerveja Puro Malte?

As cervejas Puro Malte são aquelas que usam em sua composição apenas o malte da cevada, como fonte de açúcares. Isso não é apenas um costume, é uma regra exigida pela legislação brasileira. As Cervejas Bohemia e Serramalte são dois ótimos exemplos.

serramalte_600mlbohemia_puro_malte_990ml

Apesar disso, são muito comuns as cervejas com adição de milho, arroz, trigo, centeio, que também fornecem os açúcares para as receitas. A nossa legislação permite que até 45% da composição da iguaria seja de um dos dois grãos. O uso desses ingredientes pode ser motivado por diferentes motivos, desde deixar o corpo da bebida mais leve,até deixar mais encorpada

Bora experimentar?

Agora que você já conhece os ingredientes básicos da cerveja, quer uma dica de amigo? Leia sempre os rótulos das que vai consumir e fique atento aos sabores. Você se surpreenderá com a variedade e também com as diferenças entre elas. É um hábito muito divertido, além de saboroso!


Conheça os diferentes tipos de cerveja

Postado em: 25/03/2019,

por Ambev

O mundo das cervejas nos presenteia com um número estonteante de opções e tipos de cerveja disponíveis.

De Pilsens clássicas a IPAs arrojadas, cada tipo de cerveja gera mais subcategorias do que os bebedores podem imaginar. Cervejas novas surgem no mercado a todo momento, cada uma com sua particularidade. Mas o que torna as cervejas diferentes?

Toda cerveja tem 4 ingredientes principais:

  • Água, que representa de 85% a 95% da cerveja;
  • Cereais, que podem ser maltados e in natura;
  • Lúpulo, que é como se fosse o tempero da cerveja, que traz amargor e aroma;
  • Levedura, que é a “alma” da cerveja (também conhecido como o fermento da cerveja.

Além desses ingredientes, o mestre cervejeiro pode usar da sua criatividade e conhecimento para acrescentar outros ingredientes e desenvolver melhorias de processo cervejeiro que também influenciam no produto final.

Dentro do mundo cervejeiro existem 3 categorias importantes: família, escolas , e estilos. Abordando cada um rapidamente:

Escolas

Hoje existem 4 escolas cervejeiras no mundo, que nada mais são do que regiões onde os estilos de cerveja foram criados e são as principais referências para os cervejeiros:

  • Escola Inglesa: que possui estilos como Porter, English IPA, Stout e English Pale Ale;
  • Escola Belga: que possui estilos como Blond Ale, Dubbel, Strong Ale e Witbier;
  • Escola Alemã: que possui estilos como Pilsen, Weiss e Bock;
  • Escola Americana: que possui estilos como American Lager, Cream Ale e American Pale Ale.

Família

Existem três famílias famílias de cerveja, que estão relacionadas ao tipo de fermento usado no processo. Abordaremos as duas principais:

Lager

Cervejas de baixa fermentação. São cervejas onde o fermento tende a descer para o fundo do tanque no processo de fermentação. Os estilos mais conhecidos dessa família são: Pilsen, American Lager, Vienna, Helles, Bock, Schwarzbier.

Ale

Cervejas de baixa fermentação. São cervejas onde o fermento tende a descer para o fundo do tanque no processo de fermentação. Os estilos mais conhecidos dessa família são: Pilsen, American Lager, Vienna, Helles, Bock, Schwarzbier.

São cervejas de alta fermentação, ou seja, o fermento tende a ficar no topo do tanque durante o processo de fermentação. Os estilos mais conhecidos dessa família são: IPA, Weiss, Stout, Porter, Pale Ale, Trippel e Witbier.

Aprofundando ainda mais: dentro de cada família temos os estilos de cerveja. Relacionando os 3 níveis (escolas, famílias e estilos) temos, por exemplo:

  • O estilo Pilsen (que será explicado mais detalhadamente abaixo), que é da família Lager, dentro da escola Alemã, ou
  • O estilo Porter, da família Ale e escola Inglesa.

Hoje existem mais de 150 estilos diferentes de cerveja no mundo, então vamos focar nos principais para você conhecer mais sobre o assunto: American Lager, Pale Ale, IPA, Pilsen, Stout, Vienna, Weiss, Porter, Witbier e Tripel.

#1. American Lager

As American Lagers são um ponto de entrada típico para quem está começando a beber cerveja. Por ser uma cerveja mais leve, refrescante e descomplicada. Em geral, possuem notas maltadas leves e alta sensação de refrescância.

Exemplos:

skol-budweiser

#2. Pale Ale

De origem inglesa, as Pale Ale são cervejas que tem uma quantidade maior de lúpulo de amargor na sua receita, isso a torna uma cerveja mais amarga, logo podem harmonizar com comidas muito condimentadas.

As Pale Ale apresentam uma coloração cobre e aroma frutado e terroso.

Exemplo:

ale

#3. IPA

As IPAs, sigla para India Pale Ale, obtêm suas características em grande parte pelo lúpulo, em conjunto com os sabores herbais, cítricos, resinosos e amargo.

Apresentam um teor alcoólico mais elevado e harmonizam bem com comidas apimentadas e queijos fortes como o gorgonzola.

Exemplos:

ipa

#4. Pilsen

Também conhecida como Pilsner, as cervejas Pilsen são originárias da República Tcheca e pertencem à família das Lager.

Possuem um sabor, suave, amargor baixo ou mediano e uma coloração dourada e translúcida. No aroma notas florais de lúpulos alemães e tchecos equilibram com o malte. É uma cerveja que combina com pratos mais leves, sem um sabor que se sobreponha a cerveja, como nozes, castanhas ou queijos leves.

Exemplos:

pilsen
pestisco-ale

Stout

Esta é uma cerveja escura originalmente da escola inglesa, que possuem aroma e sabor torrado, lembrando café. A sua intensidade varia dos seus sub-estilos. As mais adocicadas são conhecidas como Sweet Stouts, enquanto as mais secas são as Dry Stout. Elas são uma ótima pedida com sobremesa a base de chocolate.

Exemplos:

stout

#6. Vienna Lager

Como o próprio nome já diz, o estilo Vienna foi criado em Viena, em 1840, e pertence à família Lager.

É uma cerveja com corpo médio Esse estilo possui um bom equilíbrio entre o lúpulo e o malte. Essa cerveja tem uma cor que varia entre marrom acobreado e o avermelhado, harmoniza bem com hambúrguer.

Exemplo:

aura
brinde

#7. Weiss

As cervejas de trigo são produzidas com um percentual de malte de trigo, o que dá à bebida uma cor clara, turbidez e uma espuma cremosa. Essas características a tornam uma ótima escolha para refrescar o calor.

Cervejas de trigo possuem um sabor leve e refrescante e um aroma que lembra pão, banana e cravo (provenientes da levedura), bem característico desse estilo. Geralmente é o primeiro passo para quem migra para o mundo artesanal.

Exemplos:

weiss

#8. Porter

Estilo típico da escola britânica, são cervejas escuras e de sabor torrado. São cervejas de alta fermentação e com teor alcoólico moderado.

Tem um sabor que lembra café e chocolate , tendo essa como sua característica mais marcantes. Harmonizam bem com cogumelos, queijo parmesão e sobremesas a base de chocolate.

Exemplo:

porter

#9. Witbier

A Witbier é um estilo belga, nascido em 1445, sendo a Hoegaarden a primeira cerveja deste estilo no mundo.

São produzidas com uma porcentagem de trigo não-maltado e são condimentadas com casca de laranja e semente de coentro. São cervejas bem claras, turvas, de corpo baixo e amargor baixo, contendo um sabor frutado e de especiarias. Harmoniza bem com frutos do mar e queijo de cabra.

Exemplo:

hoegaarden

#10. Tripel

Também de origem belga, a cerveja de estilo Tripel costumam ser complexas e apresentam notas condimentadas bem suaves graças às suas leveduras. Esse estilo de cerveja possui, geralmente, uma coloração clara, notas e harmonizam com molho branco ou molho pesto.

Exemplos:

tripel

Agora você já conhece os diferentes estilos de cerveja. Qual é o seu predileto?

Hoje fizemos um mergulho sobre os diferentes tipos de cerveja que podemos encontrar no mercado.

Tabulamos, principalmente os estilos mais populares, para que você que é um apreciador de cerveja possa testar seu paladar em novos mundos; e para que aqueles que estejam dando os primeiros passos neste universo, conheçam parte de suas opções.

A cerveja, apesar de não ser um bem 100% brasileiro, encontrou por aqui sua casa, tendo o brasileiro entre os 20 maiores bebedores de cerveja do mundo.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os estilos de cerveja mais famosos, só nos resta dizer uma coisa: saúde!